Explicado: as preocupações da Sony sobre a aquisição da Activision da Microsoft e por que não deveria se preocupar


Após ser questionado por um órgão regulador brasileiro, Sony disse recentemente que Microsoftproposta de aquisição de Activision pode influenciar os usuários a “trocar de console”. De acordo com um relatório da VideoGamesChronicle (identificado pela primeira vez pela ResetEra), o órgão regulador está atualmente investigando a aquisição da Microsoft pela Activision Blizzard que inclui questionar várias empresas terceirizadas como Warner BrosAmazonas, UbisoftBandai Namco, Jogos de motim e Sony, entre outros.
O acordo de US$ 70 bilhões da Microsoft para adquirir a Activision Blizzard está “atualmente passando por procedimentos legais em mais de 20 comissões regulatórias, como a FTC e a Comissão Européia, para sua aprovação”, relata o IGN.
A maior preocupação da Sony
O maior rival de jogos da Microsoft afirmou que Call of Duty é o “único IP de videogame a entrar no top 10 de todas as marcas de entretenimento entre os fãs, juntando-se a potências como Star Wars, Game of Thrones, Harry Potter e Lord of the Rings, ” sugere o relatório (originalmente em português).
De acordo com o relatório, a Sony disse que COD é “uma das maiores franquias de todos os tempos, com quase 20 anos de história. Além disso, a empresa acrescentou que ninguém pode replicar o que o COD pode oferecer e os estúdios de jogos não podem criar um título que possa competir com a série.
A Sony agora está preocupada que a franquia seja tão popular que possa “influenciar os usuários a escolher uma plataforma de console que possa rodar o jogo e, com a aquisição da Activision pela Microsoft, a série corre o risco de ser exclusiva do Xbox”. No entanto, a Microsoft não pretende tornar Call of Duty um Xbox exclusivo, pois pode levantar questões antitruste para a empresa.

Declaração da Microsoft para defender o acordo
A gigante da tecnologia emitiu uma notificação de 118 páginas sobre a investigação em andamento e a empresa fez uma declaração indireta para descartar as preocupações da Sony, bem como os riscos potenciais da aquisição bloquear o conteúdo de aparecer em outras plataformas.
Outro relatório da TwistedVoxel afirma que a Microsoft argumentou que “jogos fortes e distintos estão disponíveis tanto da Sony quanto da Nintendo”, incluindo seus títulos exclusivos. Anteriormente, em 2018, a IDC reconheceu God of War e Marvel’s Spider-Man como os principais jogos exclusivos da Sony, juntamente com outros títulos proeminentes como – The Last of Us e Uncharted.
A gigante da tecnologia também disse que, além da Activision Blizzard, apenas algumas editoras e desenvolvedores – incluindo EA (FIFA), Take-Two/Rockstar (Grand Theft Auto) e Epic Games (Fortnite) – são capazes de criar títulos AAA.

A base de usuários do Call of Duty caiu
De acordo com um relatório da Metro UK, a base de usuários do Call Of Duty caiu abaixo de 100 milhões pela primeira vez desde o lançamento do Zona de Guerra. Os usuários ativos mensais do jogo (MAU) caíram para menos de 100 milhões pela primeira vez em três anos.
Além disso, o relatório sugere que a Microsoft está procurando quebrar a tradição de lançamentos pagos anualmente. Como jogos gratuitos como Fortnite e Apex Legends também são populares sem equivalentes pagos, ainda seria uma grande mudança de estratégia para a franquia COD.
Futuro da franquia COD
De acordo com o relatório, Warzone está prejudicado por “fraudes e problemas técnicos”, então a Activision está desenvolvendo uma sequência que pode ser chamada de Warzone 2. Ainda não tem data de lançamento, mas uma nova entrada paga Modern Warfare 2 está confirmada para 28 de outubro. o relatório menciona. Os rumores atuais dizem que haverá um novo jogo Black Ops, mas a Activision os negou afirmando que não haverá um novo lançamento em 2023.





Source link